Adidas lança tênis feito 100% com plásticos retirados do oceano

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit 01

Depois dessa coleção de roupas feitas por Pharrell Williams e G-Star fazerem sucesso, eis que a indústria da moda começou a levar mais a sério a ideia de reaproveitar materiais recicláveis, ao invés de ter como fim o lixo. Pensando nisso, a Adidas acaba de lançar um novo protótipo de um tênis feito inteiramente com plásticos retirados do oceano em parceria com a Parley for the Oceans, uma ONG que sincroniza a economia atual com o ecossistema da natureza.

Além de proteger os oceanos, a Parley faz com que a proteção ambiental seja lucrativa para grandes empresas ao mesmo tempo em que combate o desperdício. Para sua fabricação, os plásticos foram retirados de uma expedição de 110 dias ao longo da costa oeste da África. Parte do material recolhido vem de redes utilizadas por pescadores ilegais, que poluem o mar e podem matar diversas vidas marinhas. Algumas destas redes foram confiscadas por ativistas ambientais da Sea Shepherd.

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit

Absolutamente todas as partes utilizadas para criar o modelo chamado Primeknit são recicláveis, como fibras, fios, filamentos. O Primeknit é tricotado e isso gera resíduos zero em comparação com o processo de corte necessário para a maioria dos outros tênis.

O objetivo maior do programa é trabalhar novas tecnologias para mudar o status do consumo de plástico no mundo. A marca está em fase de adaptar o material para eventualmente começar a incluí-lo em outros produtos. “Nós não queremos nos limitar”, diz Eric Lietke, membro do conselho executivo de marcas globais da Adidas. “Nós podemos colocar isso em T-shirts, shorts, em todos os tipos de coisas.”

“O plástico não pertence à natureza, ele não merece estar na barriga de um peixe. A solução final é cortar este fluxo contínuo de algo que não se acaba facilmente, é reinventar-se. Por enquanto, nós fazemos o que podemos. Isso significa que estamos realizando uma pequena limpeza no mar no momento. Cada pedaço de plástico que recolhemos, cada peça única, pode salvar um pássaro, uma tartaruga, mesmo uma baleia.” – diz Eric. Confira detalhes:

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit 05

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit 04

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit 03

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit 02

Apesar da Adidas ter sido acusada pelo Greenpeace de pesada poluição ambiental, isso pode representar um passo na direção certa. Se a ideia for aplicada em larga escala, quem sabe o parâmetro atual dentro da empresa começa a mudar? O Primeknit tem previsão de ser lançado no final de 2015.

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit poluição

Adidas tênis materiais reciclados plástico oceano Primeknit sea shepard

Via.

Carol T. Moré é editora do Follow the Colours. Cores, internet, design, viagens e pequenos detalhes da vida a fazem feliz. Acredita que boas histórias e inspirações transformadas em pixels conectam pessoas.

Carol T. Moré – já publicou posts no Follow the Colours.

– See more at: http://followthecolours.com.br/style-freak/adidas-lanca-tenis-feito-100-com-plasticos-retirados-do-oceano/#sthash.0B9iAROS.dpuf

fonte: http://followthecolours.com.br/style-freak/adidas-lanca-tenis-feito-100-com-plasticos-retirados-do-oceano/ em 06 jul 2015 às 14h e 24 min

Anúncios

‘Colecionador’ de frutas raras cultiva 1,3 mil espécies em sítio de SP

O paulista Helton Josué Teodoro Muniz é colecionador de frutas raras e exóticas.

Ele já plantou e cultivou mais de 1,3 mil espécies em sua fazenda de seis hectares, em Campina do Monte Alegre, a oeste da capital paulista.

Muniz nasceu com uma disfunção neuromotora e aprendeu a caminhar somente quando era adolescente. Atualmente, contudo, ele diz ser difícil conseguir segurar uma semente.

Também conta que a paixão pelas frutas exóticas começou quando ainda era criança. Helton descobriu uma fruta que não conhecia e isso o levou a uma investigação que culminou com o Sítio de Frutas Raras.

Ao longo dos anos, ele se tornou um respeitado autor e “frutólogo”.

fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/04/150408_fazenda_fruta_rara_exotica_lgb?ocid=socialflow_facebook em 13 de abril 2015 às 04:10 a.m. Bom fim pós casamento Botangela.

Reciclagem de água de chuva para engarrafar

Como uma empresa está reciclando água da chuva para comercializá-la engarrafada.

Se geralmente a água coletada da chuva é utilizada na irrigação de plantas e na limpeza, a Casa Del Agua, localizada em Romita, no México, torna-a mais do que potável, transformando a água que cai no jardim em uma bebida cristalina, triplamente filtrada e especial. A água reciclada vem do conceito de que as coisas não se criam e não se destroem, mas se transformam. Lavoisier à parte, a proposta da empresa é criar uma água diferenciada a partir de diversos processos de tratamento, com foco no meio ambiente.

A filtração garante a eliminação de partículas e odores e a destilação deixa a água completamente limpa. Como nessa etapa os minerais se perdem, a água passa por um tratamento com ímãs e pedras para que se torne benéfica ao organismo humano. O mais curioso de tudo é que quando a água passa por essas pedras para recuperar sua alcalinidade, há mensagens de amor e gratidão escritas nelas. E tudo isso acontece ao som de música clássica e sob a luz de cristais. Química e espiritualmente, a água da Casa Del Agua é ideal para o consumo.

O prédio onde fica a Casa Del Agua é outro destaque. Revestida com madeira reciclada e cerâmica, a construção de dois andares conta com um jardim na parte de cima, onde a água da chuva é coletada. Por dia, são recicladas cerca de 300 garrafas de água.

Veja as imagens:

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Já que o cuidado com o meio ambiente é a grande preocupação da Casa Del Agua, o produto é vendido em embalagens de vidro retornáveis, em contraponto com o consumo de garrafas PET no México, um dos maiores do mundo.

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Casa del Agua

Todas as fotos © Casa Del Agua

 fonte: http://www.hypeness.com.br/2014/05/agua-da-chuva-reciclada-ao-som-de-musica-classica-e-destaque-no-mexico/ em 24/05/2014 às 01:53 A.m.

por Redação Hypeness

Setor de lixo pode reduzir até 57 milhões de tonelada de CO2

Pesquisa mostra que o setor de resíduos sólidos é um dos segmentos que mais pode contribuir para a queda global de emissões de gases do efeito estufa

Lixão no litoral norte de São Paulo: investimentos para reduzir as emissões renderia ao Brasil uma economia de US$ 1,71 bilhão até 2030

Pesquisa realizada pela Associação Real Holandesa de Resíduos Sólidos (NVRD), em parceria com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apontou que o setor de resíduos sólidos é um dos segmentos que mais pode contribuir para a queda global de emissões de gases do efeito estufa. No Brasil, a redução pode chegar a 57 milhões de toneladas de CO2.

Para tanto, de acordo com o estudo, é preciso que o governo intensifique as ações de reciclagem nos aterros sanitários do país, além de associá-las à implantação de tecnologias que visem à geração de energia a partir do lixo. O investimento renderia ao Brasil uma economia de US$ 1,71 bilhão até 2030.

Apesar de ainda estarem muito abaixo das expectativas dos especialistas, as iniciativas nacionais no setor do lixo já contribuíram para uma redução de 16 milhões de toneladas de CO2 emitidas na atmosfera, entre 1999 e 2007.

Na Europa, a redução foi de 37 milhões de toneladas, enquanto na Holanda, mais especificamente, o incentivo nas práticas de reciclagem contribuíram para a diminuição de 2 milhões de toneladas de CO2 por ano.

publicado originalmente em 10 ago 2012 às 7:18 e novamente em 17/12/2013 às 08:00 a.m. Footprint – Bom fim às 03:13 a.m. e novamente em 26/03/2014 às 08:00 leamet project 1

Amsterdã investe 90 milhões de euros em novos bicicletários

E mais 30 milhões de euros para renovar as instalações ciclísticas. Cidade holandesa lida com um ‘problema’ incomum: a superlotação de bikes no espaço urbano

As autoridades da cidade de Amsterdã, na Holanda, estão investindo 120 milhões de euros na melhoria das instalações para ciclistas, dos quais 90 milhões de euros serão gastos em 40 mil novas vagas de estacionamento de bicicletas, os bicicletários.

O uso de bicicletas na capital holandesa subiu mais de 40% ao longo dos últimos vinte anos, informa a câmara municipal de Amsterdã. Isso significa que as ciclovias estão estreitas demais para acomodar esse volume crescente de tráfego de bicicletas e os bicicletários estão superlotados, o que está começando a afetar a acessibilidade.

Medidas voltadas à bicicleta

A cidade decidiu introduzir medidas para ajudar os ciclistas. Uma delas é aumentar o tempo de sinal verde para a bicicleta em semáforos, visando a melhorar o fluxo de tráfego nas ciclovias, proporcionar espaço extra em cruzamentos. Além disso, haverá a nomeação de um funcionário responsável por coordenar a remoção dos veículos fora de uso nos bicicletários.

Tudo isso, e mais 17 km de ciclovias a serem implantadas em Amsterdã.

A municipalidade também está planejando um grande depósito para onde remover bicicletas abandonadas nos bicicletários e pretende também introduzir um tempo limite nesses estacionamentos para duas rodas.

Matéria originalmente publicada no portal Mobilize.
f
onte: http://www.cidadessustentaveis.org.br/noticias/amsterda-investe-90-milhoes-de-euros-em-novos-bicicletarios em 25 fev 2014 às 19 h.

Indústria Farmacêutica tem mais 60 dias para submeter propostas de acordo setorial para logística reversa

Fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes podem enviar propostas de acordo setorial até o início de abril

medicamentos

O Comitê orientador para implantação dos Sistemas de Logística Reversa (CORI) aprovou na quinta-feira, 20 janeiro 2104, o pedido de prorrogação do prazo de encerramento do edital, aberto desde outubro, para receber propostas de acordo setorial para implantação do sistema de logística reversa de resíduos de medicamentos. A reunião foi presidida pelo secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Gaetani.
A Política Nacional de resíduos Sólidos (PNRS) define a logística reversa como instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial para reaproveitamento, em seu ciclo pi em outros ciclos produtivos ou outra destinação.
O edital, discutido e elaborado com a participação da indústria e dos ministros membros do CORI – Meio Ambiente, Saúde, Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Agricultura e Abastecimento e Fazenda – se encerraria na quinta-feira, 6 de fevereiro. O pedido de prorrogação veio do setor produtivo e foi atendido. ” Vamos ampliar o prazo em 60 dias”, anunciou a diretoria de Meio Ambiente Urbano do ministério, Zilda Veloso.
” è essencial que o acordo setorial complete todas as etapas do ciclo de vida dos medicamentos”, explicou o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, Ney Maranhão.  “O objetivo é garantir a destinação ambientalmente adequada de medicamentos e suas respectivas embalagens, após o uso pelo consumidor”.

fonte:http://networkedblogs.com/ToNsd

fonte original: http://www.mma.gov.br/informma/item/9906-ind%C3%BAstria-farmac%C3%AAutica-tem-mais-60-dias-para-adaptar-se-%C3%A0s-novas-regras em 02 fev 2014 às 12:54 p.m. Bom Fim – Porto Alegre – RS – Brasil

Carolina Alzaga pega as correias descartadas das bicicletas e as transforma em grandes lustres.

lustre de correias

Se andar de bike já é um ato bacana, quiçá reciclar a corrente das bikes descartadas. É isso que a Carolina Alzaga faz, e com maestria, afinal ela as transforma em grandes lustres. Assista o vídeo, veja como são feitos e entenda a filosofia da artista

Chain Reaction

fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=502715203113160&set=a.171955669522450.49831.114073091977375&type=1&theater publicado originalmente neste blog em 11 fev 2013 às 16:13 e novamente em 30 jan 2014 às 8a.m.

Garrafa de gelo inovadora derrete depois de se beber

Segundo post mais acessado em http://www.portoalegrelixozero.wordpress.com em 2013.
Garrafa de gelo inovadora derrete depois de se beber
Imagine se a garrafa que contém a sua bebida favorita fosse feita de gelo e derretesse, sem causar qualquer poluição, quando a bebida chegasse ao fim? Na Colômbia já não é preciso imaginar: a Coca-Cola acaba de lançar, naquele país, uma garrafa de gelo inovadora especialmente concebida para ser vendida nas praias durante o Verão.

Nas praias colombianas, o refrigerante está já a ser servido em garrafas de gelo, com um formato idêntico à das garrafas tradicionais, com o icónico logótipo da marca “cravado”, como é habitual, e que, depois de vazias, podem ser, por exemplo, deixadas na areia, acabando por derreter.
De acordo com um comunicado da multinacional, para desenvolver esta edição especial de garrafas amigas do ambiente, as equipas de trabalho criaram um novo processo de produção com vista a permitir a manufatura das garrafas e o seu transporte “para as praias quentes da Colômbia”.
O processo, explica a marca, passa por derramar água microfiltrada em moldes de silicone, congelar a água a -25ºC e, posteriormente, preencher os moldes com a bebida. Para facilitar a vida dos consumidores e evitar que as mãos fiquem geladas, cada garrafa é envolvida numa banda de borracha vermelha que, no final, podem reciclar ou utilizar como pulseira.Vídeo Coca-Cola de gelo comercializada em Cuba
Veja acima o vídeo promocional que dá a conhecer estas novas garrafas
A promessa é a de que, com esta nova “embalagem”, o refrigerante esteja “gelado até à última gota”. A ação de marketing da Coca-Cola tem chamado a atenção dos publicitários um pouco por todo o mundo e tem também feito sucesso junto dos clientes: nas praias colombianas, cerca de 265 garrafas geladas são vendidas de hora a hora, avança a companhia.
Para já, ainda não se sabe se a ideia poderá estender-se a outros países, onde iniciativas semelhantes têm sido bem-sucedidas: é o caso, por exemplo, das latas que podem ser partilhadas dividindo-se em duas ou das garrafas personalizadas com nomes de pessoas em diferentes línguas.

fonte: http://boasnoticias.sapo.pt/noticias_garrafa-de-gelo-inovadora-derrete-depois-de-se-beber_16367.html em 05 de julho de 2013 no Baden Café em Porto Alegre – RS – Brasil às 16:36 p.m.
publicado em 06/07/2013 e novamente dia 27/09/2013 às 8:00 A.m. e em 08 out 2013.

Combustível infinito

19 set 2013 20:15 e 08 set 2013 08:00 e 17 nov 2013 08:00

vá de bike!

Publicado originalmente em 17 jun 2012 21:21 pm e novamente em 14 nov 2013 às 08:00